A A A A A
Bible Book List

Salmos 86-89 O Livro (OL)

Oração de David.

86 Presta atenção à minha oração, Senhor;
ouve-me, pois estou bem necessitado e aflito.
Guarda a minha alma, pois sou teu, ó Deus meu;
salva-me, pois eu te sirvo e confio em ti.
Tem misericórdia de mim, ó Senhor,
pois chamo por ti o dia inteiro.
Dá-me alegria, Senhor, pois estou ao teu serviço;
é a ti que a minha alma se dirige.

Tu, Senhor, és bom e pronto a perdoar;
cheio de bondade para os que apelam à tua ajuda.
Ouve atentamente a minha oração, Senhor;
atende a voz das minhas súplicas.
Chamarei por ti, quando me encontrar em angústia,
porque sei que me respondes.

Entre os deuses não há nenhum que se assemelhe a ti,
nem que faça obras como as tuas.
Todas as nações, que tu próprio formaste,
virão e se inclinarão perante ti, Senhor;
dirão coisas belas sobre a força do teu nome.
10 Porque és grande e realizas grandes maravilhas.
Só tu és Deus!

11 Ensina-me, Senhor, o teu caminho e andarei na tua verdade;
que todo o meu ser saiba temer o teu nome!
12 Eu te louvarei de todo o meu coração, Senhor, meu Deus,
e darei honra ao teu nome para sempre.
13 Pois tem sido grande a tua misericórdia para comigo;
livraste a minha alma das profundezas do mundo dos mortos.

14 Ó Deus, gente soberba levantou-se contra mim;
ajuntamentos de pessoas violentas,
verdadeiros tiranos que procuram matar-me
e nem sequer pensam que tu podes ver tudo.
15 Mas tu, Senhor, és um Deus cheio de compaixão e misericórdia;
és meigo e bom e nunca falhas ao que prometes.
16 Olha para mim e compadece-te da minha situação;
dá-me força para te servir e salva-me,
pois sou filho de uma mulher que também te serviu!
17 Dá-me uma prova do teu favor,
para que a vejam os que te aborrecem
e sejam condenados por toda a gente,
quando virem, que tu, Senhor, me ajudas e confortas.

Salmo e Cântico dos descendentes de Coré.

87 Sião tem os seus fundamentos
entre as montanhas santas de Deus.
O Senhor ama os portões de Sião,
mais do que qualquer outra morada de Jacob.

Coisas maravilhosas se dizem de ti, ó cidade de Deus! (Pausa)
“Gente de Raab[a] e da Babilónia
estará entre os que me reconhecem como seu Deus;
gentes da Filisteia, de Tiro e de Cuche
serão consideradas cidadãos de Jerusalém.”
E de Sião se dirá:
“Este e aquele nasceram ali!
Foi o Altíssimo que a estabeleceu.”
E o Senhor os inscreverá no registo dos povos
como tendo nascido ali. (Pausa)

E os cantores, acompanhados de instrumentistas,
a louvarão dizendo:
“Tu és a fonte de todo o bem da minha vida!”

Cântico e Salmo didático dos descendentes de Coré. Para o diretor de canto, de acordo com Maalate[b] Leanote. Poema de Hemã, o ezraíta.

88 Senhor, Deus da minha salvação,
tenho clamado por ti de dia e de noite.
Que a minha oração chegue até ti;
inclina os teus ouvidos ao meu apelo.

Porque a minha alma está cheia de angústias
e sinto-me perto do mundo dos mortos.
É como se fizesse já parte do número
dos que vão descer ao abismo.
Sou uma criatura sem vigor algum.
Estou como se tivesse sido lançado
no monte dos casos perdidos, sem esperança.
É como se não te lembrasses mais de mim,
como se a tua mão me tivesse afastado,
por eu estar numa situação desesperada.

Puseste-me num profundo abismo,
em densas trevas.
A tua cólera pesa sobre mim;
as tuas vagas derrubam-me. (Pausa)
Fizeste com que os meus amigos me abandonassem;
foram-se embora porque me detestavam.
Sinto-me como um prisioneiro;
não vejo saída para isto.
Tenho os olhos cansados de tanto chorar de aflição;
clamo por ti todos os dias, estendendo-te as mãos.
10 Um corpo morto não poderá falar das tuas maravilhas;
a alma dos mortos não irá levantar-se para te louvar. (Pausa)
11 Debaixo da terra, nas sepulturas,
não poderá ser anunciada a tua bondade
e a fidelidade com que socorres os teus.
12 Na escuridão não se poderá falar dos teus milagres,
nem da tua justiça na terra do esquecimento.

13 Mas eu, Senhor, logo de madrugada clamo por ti,
dirigindo-te a minha oração.
14 Senhor, porque recusas o teu favor à minha alma?
Porque viras de mim o teu rosto?

15 Desde a minha mocidade que sou fraco, doente,
sempre à beira da morte;
o terror de me sentir desamparado por ti abate-me.
16 A tua ardente indignação abate-se sobre mim;
os teus terrores vão acabando comigo.
17 Estes receios e terrores apertam-me,
rodeiam-me de manhã à noite.
18 E tudo isto faz com que amigos e companheiros
se afastem para longe de mim.
Em lugar da amizade dos que me rodeavam na intimidade,
agora só tenho trevas à minha volta.

Poema didático de Etã, o ezraíta.

89 Cantarei constantemente a bondade do Senhor;
a minha boca anunciará às gerações vindouras
como te manténs fiel às tuas promessas.
Direi que a tua bondade é eterna;
confirmaste a tua fidelidade até no céu.
Disse o Senhor:
“Fiz uma aliança solene com David,
aquele que eu próprio escolhi:
A tua dinastia será estabelecida para sempre
e firmarei o teu trono eternamente.” (Pausa)

Os céus te louvarão pelas tuas maravilhas, ó Senhor;
milhares de anjos te darão louvores,
por seres fiel à tua palavra.
Quem, em todo o universo,
se pode comparar com o Senhor?
Qual dos anjos mais poderosos
é semelhante a Deus?
Ele é extremamente admirado na assembleia dos anjos;
é grandemente reverenciado por todos os que o cercam.
Ó Senhor, Deus dos exércitos,
quem é tão forte como tu?
A fidelidade faz parte do teu próprio carácter.

Tu dominas a força do mar;
acalmas as vagas que se levantam sob a violência das tempestades.
10 Abateste o altivo Raab[c] como se fosse ferido de morte;
dispersaste os inimigos com o teu poderoso e forte braço.
11 Pertencem-te os céus e a Terra;
criaste o universo com tudo o que nele existe.
12 Toda a Terra, de norte a sul, foi criada pelas tuas mãos;
os montes Tabor e Hermon alegram-se,
por serem uma obra assinada pelo teu nome.
13 O teu braço é poderoso! Forte é a tua mão!
A sua força atua eficazmente até na glória do céu!

14 A justiça e a retidão são as bases do teu trono;
a misericórdia e a verdade vão à tua frente.
15 Feliz é o povo que conhece e que responde
ao som festivo da trombeta e que toca para te celebrar!
Esses andarão na luz da tua presença.
16 Alegrar-se-ão o dia inteiro no prestígio
que tem o teu nome e a tua justiça.
17 Tu és o esplendor da sua força:
o nosso poder está fundamentado no teu favor.
18 Porque o nosso rei, que é para nós como um escudo, pertence ao Senhor;
o rei pertence ao Santo de Israel.

19 Numa visão, falaste aos teus servos fiéis:
“Prestei ajuda a alguém que é um herói e cheio de vontade,
que vem do meio do povo.
20 É David quem me servirá!
Nomeei-o e qualifiquei-o através do santo óleo
que recebeu de mim.
21 Firmá-lo-ei e o fortalecerei com o meu forte braço.
22 O inimigo nunca lhe passará por cima;
os filhos da maldade não o afligirão.
23 Derrubarei os seus inimigos na sua frente;
destruirei os que o aborrecem.
24 Acompanhá-lo-ei com a minha bondade;
terá sempre a garantia da minha fidelidade.
25 O seu poder eu estenderei sobre os mares;
dominará desde os rios até ao mar.
26 Invocar-me-á, dizendo:
‘És o meu Pai, o meu Deus,
a rocha da minha salvação.’
27 Também, por isso, o tratarei com a honra
que se dá a um filho mais velho;
farei dele o mais poderoso dos reis da Terra.
28 Manterei para sempre a minha bondade para com ele;
a aliança de amor que faço com ele nunca será anulada.
29 Terá sempre um herdeiro e o seu trono não terá fim;
será como os dias do céu!

30 Mas, se os seus filhos deixarem a minha Lei,
e não seguirem os meus mandamentos,
31 se desprezarem os meus estatutos,
interpretando-os segundo os seus interesses,
32 então virei junto deles para os castigar,
para punir a sua maldade.
33 Contudo, não retirarei dele a minha bondade,
nem deixarei de cumprir a minha promessa.
34 Não anularei a minha aliança com ele,
nem retirarei uma só palavra que saiu dos meus lábios.
35 Porque o jurei a David,
como Deus santo que não pode mentir.
36 A sua descendência durará para sempre
e o seu trono terá a duração do próprio Sol.
37 Será como a Lua que permanece sólida,
como testemunho no céu da minha fidelidade.” (Pausa)

38 No entanto, tu rejeitaste e aborreceste o teu ungido;
indignaste-te contra ele.
39 Não vês com bons olhos a aliança que fizeste com ele;
lançaste a sua coroa no pó da terra.
40 Derribaste as muralhas;
deixaste em ruínas as fortificações que o defendiam.
41 Todos os que passam por ali o despojam;
os seus vizinhos o desprezam.
42 Deste força aos seus inimigos,
os quais têm tido fortes razões para se regozijarem.
43 As suas armas encravaram-se, não prestam;
retiraste-lhe a tua ajuda na batalha.
44 Acabaste com o esplendor que tinha antes;
o seu trono caiu.
45 Envelheceu antes do tempo;
cobriste-o de vergonha. (Pausa)

46 Até quando, Senhor, será assim?
Vais ignorar para sempre o meu apelo?
Deixarás que a tua ira se acenda como um fogo?
47 Lembra-te como são breves os dias da minha vida;
tu não criaste os homens para uma vida inútil e vazia.
48 Também não há ninguém que viva para sempre,
sem conhecer a morte;
que tenha a capacidade de se livrar do poder do mundo dos mortos. (Pausa)
49 Senhor, onde está o amor
que mostraste para com David, antigamente,
e que lhe juraste com a verdade da tua palavra?
50 Lembra-te da vergonha em que se encontra o teu povo;
trago no peito a marca do escárnio de toda essa gente.
51 Gente que tem posto a tua honra de rastos,
pois são teus inimigos, Senhor;
riem-se da vida deste, que tu escolheste e ungiste.

52 Bendito seja o Senhor, para sempre!

Amém! Assim seja!

Footnotes:

  1. 87.4 Este nome hebraico transmite a ideia de um monstro marinho que representava o caos e, por vezes, o Egito.
  2. 88.0 Termo incerto, que poderá estar ligado a uma melodia ou um instrumento. Com Leanote, poderá transmitir a ideia de uma melodia de resposta branda.
  3. 89.10 Nos relatos babilónicos da criação do mundo, o monstro marinho (Raab) personificava o oceano ou o caos, vencido pelo deus criador.
O Livro (OL)

O Livro Copyright © 2000 by Biblica, Inc.® Used by permission. All rights reserved worldwide.

  Back

1 of 1

You'll get this book and many others when you join Bible Gateway Plus. Learn more

Viewing of
Cross references
Footnotes