A A A A A
Bible Book List

Salmos 74-77 O Livro (OL)

Cântico didático de Asafe.

74 Ó Deus, porque é que nos rejeitaste?
Terá sido para sempre?
Porque estás tão zangado com as tuas ovelhas?
Lembra-te deste teu povo
que resgataste em tempos tão antigos,
desta terra que tomaste para ti
e do monte Sião, onde tens habitado.
Levanta-te contra as constantes destruições
e contra todo o mal que o inimigo tem feito no teu santuário.

Aí mesmo, nos lugares santos,
os teus adversários erguem gritos de guerra
e bandeiras de combate.
São como os lenhadores,
avançando de machado em punho pela floresta,
desbastando à esquerda e à direita.
Partem e destroem tudo,
até as mais belas obras de talha.
Lançaram fogo ao teu santuário,
profanaram a morada do teu nome;
deitaram tudo abaixo.
Disseram nos seus corações:
“Apaguemos todos os vestígios de Deus,
de uma vez para sempre.”
Queimaram os santos lugares
onde eras adorado na terra pelo povo.

Tudo o que nos marcava como teu povo desapareceu;
desapareceram os homens de Deus, os profetas,
e entre nós ninguém sabe até quando isto durará.
10 Sim, até quando, ó Deus, nos enxovalhará o inimigo?
Até quando deixarás que desonrem o teu nome?
11 Porque retrais a tua mão, sim, a tua mão direita?
Estende-a e fá-los desaparecerem.

12 Todavia, Deus é o meu Rei, desde os tempos antigos,
que salva pessoas em muitos lugares da Terra.

13 Com o teu poder abriste o mar
e esmagaste a cabeça dos grandes animais marinhos.
14 Fizeste em pedaços as cabeças do monstro marinho[a]
e as deste como alimento aos nómadas do deserto.
15 Sob as tuas ordens brotaram fontes
e nasceram ribeiros para dar água ao teu povo.
Secaste rios caudalosos, como o Jordão,
para que passassem a seco para a outra margem.
16 O dia e a noite pertencem-te;
fizeste a Lua e o Sol.
17 Na Terra, tudo foi ordenado por ti;
estabeleceste tanto o verão como o inverno.

18 Assim, Senhor, vê como o inimigo te insultou;
uma gente louca e orgulhosa blasfemou do teu nome.
19 Não deixes os animais arrebatarem o teu povo,
como se fosse uma simples rola;
não o deixes assim neste estado de aflição.
20 Lembra-te da tua aliança,
pois nos lugares obscuros da terra
as pessoas planeiam cometer violência!
21 Que o oprimido não fique sem desforra;
que o aflito e o necessitado ainda tenham muitas razões
para louvarem o teu nome!
22 Levanta-te, ó Deus,
defende aquilo que afinal é a tua própria causa!
Lembra-te dos insultos que esta gente louca profere todo o dia.
23 Não te esqueças dos gritos de ódio dos teus inimigos;
a sua revolta vai aumentando cada vez mais contra ti.

Salmo e Cântico de Asafe. Segundo a melodia “Não destruas”. Para o diretor do coro.

75 Como te estamos gratos, ó Deus!
Como te louvamos!
Os teus poderosos milagres são a prova
de que a força do teu nome atua no nosso meio.

“Sim!”, responde o Senhor.
“Quando chegar a altura, no lugar determinado,
hei de julgar com toda a justiça.
Ainda que a Terra trema
e os seus habitantes vivam na confusão,
eu mantenho as suas colunas firmes. (Pausa)
Disse aos orgulhosos:
‘Parem com a loucura da vossa arrogância!’
E aos perversos:
‘Não levantem a cabeça com insolência!
Acabem com a vossa atitude altiva!
Não continuem nessa dura obstinação!’ ”

Porque o progresso e o poder
não vêm do deserto nem das montanhas;
nem do Oriente, nem do Ocidente;
Deus é o perfeito juiz;
sabe quem deve honrar e quem deve submeter.
O Senhor tem na mão uma taça de vinho,
vinho amargo e fermentado;
toda a gente perversa, que o tem rejeitado na Terra,
dele beberá, até à última gota.

Quanto a mim, hei de afirmá-lo para sempre,
cantando louvores ao Deus de Jacob.
10 Deus diz: “Acabarei com o poder dos homens perversos
mas aumentarei a força dos justos.”

Salmo e Cântico de Asafe. Sobre instrumentos de cordas. Para o diretor do coro.

76 Deus é bem conhecido em Judá;
o seu nome tem grande prestígio em Israel.
É em Salém (Jerusalém) que está a sua habitação;
a sua morada é no monte Sião.
Ali ele destrói as armas de combate do inimigo:
escudos, espadas, arcos e flechas. (Pausa)

As montanhas eternas
não podem ser comparadas contigo em glória.
Os mais valentes dos nossos adversários
foram despojados;
jazem na terra, no sono da morte.
Nenhum dos seus mais valentes combatentes
foi capaz de levantar as mãos contra nós.
Quando os repreendes, ó Deus de Jacob,
os carros de combate e os seus ocupantes caem.

Por isso, és grandemente temido.
Quem pode ficar impassível,
quando te exaltas na tua severidade?
A tua sentença faz-se ouvir desde os céus;
a terra tremeu e ficou silenciosa diante de ti.
Levantaste-te para punir os malfeitores
e para defenderes os aflitos na terra. (Pausa)
10 A cólera dos homens só fará com que sejas louvado;
os que escaparem à tua ira servir-te-ão de adorno.

11 Cumpram os votos que fizerem ao Senhor, vosso Deus;
tragam-lhe presentes, os que vivem perto dele,
pois deve ser respeitado e temido.
12 Ele tem na sua mão a vida,
mesmo a dos homens mais importantes,
e causa espanto até aos reis da Terra.

Salmo de Asafe. Para o diretor do coro, Jedutun[b].

77 Clamo a Deus, elevo-lhe a minha voz;
tenho-me dirigido a ele para que me ouça.
Quando me encontrava angustiado procurei o Senhor.
Durante toda a noite levantei-lhe, sem cessar,
as minhas mãos em oração;
recusava qualquer tipo de consolação.

Pensava em Deus e gemia;
queixava-me e o meu espírito desfalecia. (Pausa)
Fugia-me o sono;
estava tão perturbado que nem conseguia orar.
Lembrava-me dos dias passados,
de há já muito tempo,
em que enchia as noites de cânticos;
comecei então a refletir e examinar-me.

Será que o Senhor nos rejeitará para sempre
e nunca mais nos será favorável?
Terá a sua bondade terminado definitivamente?
As suas promessas,
que se têm cumprido de geração em geração,
terão agora falhado?
Ter-se-á Deus esquecido da misericórdia
ou a sua cólera sido maior que o seu amor? (Pausa)

10 Então disse para mim mesmo:
“O mal está em mim!”
Terá o poder da mão de Deus deixado de ser o mesmo?
11 Recordarei, pois, as obras do Senhor,
todos os seus milagres maravilhosos,
desde os tempos da antiguidade.
12 Meditarei em todos os teus feitos,
recordá-los-ei de novo no meu espírito.

13 Ó Deus, os teus caminhos são santos;
onde encontrarei um deus poderoso como tu?
14 És o Deus que opera maravilhas;
tornas conhecida a tua força entre os povos.
15 Salvaste-nos com a força do teu braço,
a nós, o teu povo, os filhos de Jacob e José. (Pausa)

16 Quando as águas do mar Vermelho te viram,
recuaram de medo e o fundo do mar tremeu.
17 Grossas nuvens se desfizeram em chuva;
os céus ecoaram com trovões,
foram atravessados de ponta a ponta com relâmpagos.
18 O barulho dos trovões encheu os ares;
a luz dos relâmpagos acendeu-se sobre o mundo;
a terra tremeu e foi sacudida.
19 Abriste um caminho pelo meio do mar,
uma estrada através do mar alto;
um caminho que nunca ninguém tinha visto.

20 Foi assim que guiaste o teu povo, como um rebanho,
pela mão de Moisés e Aarão.

Footnotes:

  1. 74.14 Em hebraico, leviatan. Criatura de grandes dimensões, de identificação incerta, que tem sido caracterizada como dragão, serpente marinha ou polvo gigante.
  2. 77.0 Cf. 1 Cr 16.41.
O Livro (OL)

O Livro Copyright © 2000 by Biblica, Inc.® Used by permission. All rights reserved worldwide.

  Back

1 of 1

You'll get this book and many others when you join Bible Gateway Plus. Learn more

Viewing of
Cross references
Footnotes