A A A A A
Bible Book List

Mateus 9-10O Livro (OL)

Jesus cura o paralítico

1/2 Depois, Jesus meteu­se num barco e atravessou o lago para Cafarnaum, que era a sua cidade. Logo alguns homens lhe trouxeram, numa esteira, um rapaz paralítico. Quando Jesus reparou na fé deles, disse ao doente: “Coragem, filho, porque já perdoei os teus pecados!”

“Que ofensa a Deus! Esse homem é como se se considerasse o próprio Deus!”, murmuravam entre si alguns chefes religiosos.

Jesus soube o que eles pensavam: “Porque são tão ruins os vossos pensamentos? O que é mais fácil dizer, ‘os teus pecados são perdoados’, ou dizer ‘levanta­te e anda’? Ora, vou provar que tenho autoridade aqui na Terra para perdoar pecados.” E, voltando­se para o rapaz paralítico, disse­lhe: “Levanta­te, enrola a tua esteira e vai para casa pelo teu pé!”

E este levantou­se e foi para casa. Um clamor de espanto percorreu a multidão quando viu isto acontecer. E louvavam Deus por ter dado tal autoridade aos homens!

A chamada de Mateus

Ia Jesus a descer a estrada quando se dirigiu a um cobrador de impostos, Mateus, sentado num balcão de cobrança: “Segue­me, sê meu discípulo”. E logo Mateus, abandonando de pronto o seu posto, o acompanhou.

10/11 Mais tarde, estava Jesus com os seus discípulos a comer em casa de Mateus, e sentaram­se também bom número de gente conhecida como pouco escrupulosa, como convidados. Os fariseus ficaram chocados com aquilo. “Porque se junta o vosso mestre com gente desta laia?”, perguntaram eles aos discípulos.

12/13 Mas Jesus, que os ouvira, respondeu: “Porque não são os que têm saúde que precisam de médico, são os doentes. Têm de aprender o que significa esta passagem das Escrituras: ‘Mais do que os vossos sacrifícios, quero provas da vossa bondade’.

Eu vim a este mundo para chamar os pecadores para que se voltem para Deus. Não vim para os que já se consideram a si próprios bons.”

Jesus é interrogado sobre jejum

14 Um dia, os discípulos de João Baptista foram ter com Jesus: “Porque é que os teus discípulos não jejuam como nós fazemos e como fazem também os fariseus?”

15/17 Jesus respondeu: “Acham que os convidados do noivo devem ficar tristes enquanto o noivo está com eles? Contudo, virá o tempo em que o esposo será tirado do meio deles. Então jejuarão. E quem remendaria roupa velha com fazenda que ainda não encolheu? O remendo rasgaria a roupa e o buraco ficava pior ainda. Ou quem guardaria o vinho novo em barris velhos? Estes rebentariam com a pressão, o vinho entornar­se­ia e os barris ficariam estragados. Para guardar vinho novo só se utilizam barris novos. Assim ambos se conservam.”

Uma menina morta e uma mulher doente

18 Enquanto falava deste modo, o dirigente da sinagoga local aproximou­se e adorou­o: “A minha filha acaba de morrer, mas tu tens poder para a fazer viver de novo; basta que venhas e toques nela”.

19/21 Quando Jesus e os discípulos iam a caminho da casa do dirigente, uma mulher, que havia doze anos sofria de uma perda de sangue interna, aproximou­se dele por detrás e tocou­lhe na borda do manto, pois pensava: “Basta eu tocar­lhe para ficar curada.”

22 Jesus voltou­se e disse à mulher: “Filha, tudo vai bem; a tua fé te curou!” E a mulher ficou boa a partir daquele instante.

23 Quando chegou a casa do chefe da sinagoga e viu a multidão agitada, e ouviu a música de funeral, mandou: 24 “Saiam todos lá para fora, porque a menina não está morta; dorme apenas!” Mas riram­se dele. 25 Por fim, quando toda aquela gente saiu, Jesus entrou no aposento onde a menina estava deitada e pegou­lhe na mão; logo ela se levantou de pronto, em perfeita saúde. 26 A notícia deste milagre correu toda a região.

Jesus cura cegos e mudos

27 Ia Jesus a sair da casa da menina quando dois cegos se puseram a segui­lo, gritando: “Ó Filho do rei David, tem piedade de nós!”

28 E entraram mesmo na casa onde ele ficava; até que Jesus lhes perguntou: “Crêem que vos posso dar de novo a vista?”

“Sim, Senhor, cremos.”

29 Então, pousando a mão sobre os seus olhos, Jesus disse: “Assim será, pela fé de que vocês deram provas!” 30/31 E logo recuperaram a vista! Jesus, no entanto, recomendou­lhes rigorosamente que não contassem o caso a ninguém. Mas eles espalharam a sua fama por toda a região.

32 Deixando aquele lugar, encontrou um mudo, que o era por ser possuído de um demónio. 33 Jesus expulsou o demónio, e logo o homem pôde falar. Como a multidão ficou maravilhada! “Nunca em Israel vimos coisas assim!”

34 Mas os fariseus diziam: “Se consegue expulsar demónios é porque um demónio o possui a ele. Está pois dominado por Satanás, rei dos demónios!”

Os trabalhadores são poucos

35/36 Jesus andava por todas as cidades e aldeias da região, ensinando nas sinagogas e anunciando as boas novas do reino. Aonde quer que ia, curava toda a casta de enfermidades. E sentia grande pena das multidões que apareciam com problemas enormes, sem saberem que fazer nem onde procurar auxílio! Eram como ovelhas sem pastor.

37/38 “A seara é tão grande, e tão poucos os trabalhadores”, disse aos discípulos. “Orem ao Senhor da seara e peçam­lhe que chame mais trabalhadores para as suas searas.”

Jesus envia os doze discípulos

10 Chamando os doze discípulos para junto de si, Jesus deu­lhes autoridade para expulsar os espíritos maus e curar toda a espécie de doenças e enfermidades.

2/4 Estes são os nomes dos doze apóstolos: Simão, também chamado Pedro; André, irmão de Pedro; Tiago, filho de Zebedeu; João, irmão de Tiago; Filipe; Bartolomeu; Tomé; Mateus, o cobrador de impostos; Tiago, filho de Alfeu; Tadeu; Simão o cananeu; e Judas Iscariotes, que acabou por o trair.

5/6 Jesus enviou­os com as seguintes instruções: “Não vão aos gentios nem aos samaritanos, mas só ao povo de Israel, às ovelhas perdidas de Deus. Vão e anunciem­lhes que o reino dos céus está próximo. Curem os doentes, dêem vida aos mortos, sarem os leprosos e expulsem os demónios. Dêem generosamente, tal como generosamente receberam!

9/10 Não levem dinheiro convosco. Não levem sacos de viagem com mudas de roupa e calçado, nem sequer um bordão; pois quem deve alimentar­vos e cuidar de vocês são aqueles a quem ajudarem. 11/13 Sempre que entrarem numa cidade ou aldeia, procurem um homem piedoso e fiquem na sua casa até partirem para a cidade seguinte. Quando pedirem licença para ficar, sejam delicados. E se de facto for um lar onde se respeite Deus, dêm­lhe a vossa bênção; se não for, não a dêem. 14/15 Em qualquer cidade ou casa que não vos receber, sacudam dos pés o pó daquele lugar, quando se retirarem. Certamente que as cidades ímpias de Sodoma e Gomorra estarão em situação melhor do que elas no dia do juízo.

16/18 Envio­vos como ovelhas para o meio dos lobos. Sejam cautelosos como as serpentes, e simples como pombas. Mas fiquem sabendo, contudo, que hão­de ser presos, julgados e açoitados nas sinagogas. Sim, julgados diante de governadores e reis por minha causa. Terão, então, ocasião de falar de mim, de dar o vosso testemunho perante o mundo. 19/20 Quando forem presos, não se preocupem com o que hão­de dizer no vosso julgamento, porque vos serão inspiradas as palavras certas no momento certo. Pois não serão vocês quem falará, mas o Espírito do vosso Pai celestial, pela vossa boca!

21/23 Um irmão chegará a entregar outro irmão à morte, e os pais trairão os próprios filhos. Os filhos levantar­se­ão contra os pais e os farão morrer. Todos vos odiarão por causa do meu nome. Mas aqueles que resistirem até ao fim serão salvos. Quando forem perseguidos numa cidade, fujam para a seguinte. Voltarei antes de terem passado por todas as cidades de Israel.

24/26 O aluno não é mais do que o seu mestre, nem o trabalhador está acima do capataz. O aluno tem o mesmo destino que o seu professor, o empregado o mesmo que o patrão! E se a mim, que sou dono da casa, me chamam Satanás, quanto mais não o farão a vocês! Mas não tenham medo de quem vos ameaça, pois nada há encoberto que não venha a revelar­se, nem há nada de escondido que não venha a ser conhecido. 27 O que agora vos digo só a vocês, gritem­no às claras quando amanhecer. O que vos segredo aos ouvidos, gritem­no dos terraços!

28 Não receiem quem mais não pode fazer do que matar­vos o corpo sem poder atingir a vossa alma! Só Deus devem temer, que pode lançar no inferno tanto a alma como o corpo. 29/31 Nem um pardal — que vale menos que uma moeda — poderá cair no chão sem que o vosso Pai o saiba. Os próprios cabelos da vossa cabeça estão contados. Portanto, não se preocupem! Para ele, vocês valem mais do que muitos pardais juntos.

32/33 Se alguém me reconhecer diante de todos como seu Senhor, eu o reconhecerei como meu diante do meu Pai no céu. Mas se alguém me negar publicamente, eu o renegarei publicamente diante do meu Pai no céu.

34/35 Não julguem que vim trazer paz à Terra! Não, antes vim trazer conflitos. De facto vim para lançar um homem contra o seu pai, a filha contra a mãe, a nora contra a sogra. 36/37 Os piores inimigos de um homem estarão justamente dentro da sua própria casa! Se amarem mais o vosso pai e mãe do que a mim, não merecem ser meus; se amarem o vosso filho ou filha mais do que a mim, não merecem ser meus.

38 Se recusarem levar a vossa cruz e seguir­me, não merecem ser meus. 39 Se se agarrarem à vida, perdê­la­ão; se a perderem por amor de mim, salvá­la­ão.

40 Quem vos receber, é a mim que recebe. Quem me acolhe, acolhe Deus, que me enviou. 41 Se acolherem alguém que vos fale em nome de Deus, receberão a mesma recompensa do que ele. Se derem acolhimento a uma pessoa boa e piedosa, por causa desta mesma piedade, receberão recompensa igual à dela. 42 E se alguém der nem que seja um copo de água a um dos mais pequenos dos meus discípulos, digo­vos que, na verdade, náo ficará de modo algum sem recompensa.”

O Livro (OL)

O Livro Copyright © 2000 by Biblica, Inc.® Used by permission. All rights reserved worldwide.

  Back

1 of 1

You'll get this book and many others when you join Bible Gateway Plus. Learn more

Viewing of
Cross references
Footnotes