A A A A A
Bible Book List

Jeremias 26-29 O Livro (OL)

Jeremias ameaçado de morte

26 Esta mensagem foi dada a Jeremias, da parte do Senhor, no princípio do reinado de Joaquim, filho de Josias, rei de Judá: “Põe-te em frente do templo do Senhor e fala a todo o povo que ali veio para adorar, vindo de muitos sítios de Judá. Comunica-lhes a mensagem toda, sem deixares sequer uma palavra esquecida, de tudo o que pretendo que ouçam. Pode ser que ouçam e se convertam dos seus maus caminhos, e assim poderei suspender todos esses castigos que planeio e que estou pronto a derramar sobre eles, em consequência das suas más ações. Diz-lhes que o Senhor lhes transmite isto: Se recusarem ouvir-me e obedecer à Lei que vos dei, e se não quiserem ouvir os meus servos, os profetas, porque os tenho enviado vez após vez para vos advertirem, mas não quiseram ouvi-los, então destruirei este templo, tal como destruí o tabernáculo em Silo, e farei de Jerusalém uma palavra maldita para todas as gentes da Terra.”

Os sacerdotes, os profetas e todo o povo ouviram Jeremias anunciar essas palavras na casa do Senhor. Quando Jeremias acabou a sua pregação, dizendo tudo o que o Senhor lhe tinha ordenado, os sacerdotes, os falsos profetas e todo o povo que ali estava no templo juntaram-se e levantaram um tumulto contra ele gritando: “Morra! Morra! Com que direito dizes que o Senhor irá destruir este templo como o de Silo?”, vociferavam. “Que dizes tu: ‘Jerusalém será destruída e não haverá sobreviventes?’ ”

10 Quando os altos magistrados de Judá ouviram o que estava a acontecer, saíram a correr do palácio e vieram sentar-se junto à porta nova da casa do Senhor, à entrada do templo, para julgar aquele caso. 11 Os sacerdotes e os falsos profetas apresentaram então as suas acusações aos magistrados perante o povo, dizendo: “Este homem devia morrer! Ouviram com os vossos próprios ouvidos como ele é traidor, pois tem profetizado contra esta cidade!”

12 Então Jeremias falou em sua defesa. “O Senhor enviou-me para profetizar contra o seu templo e contra esta cidade. Foi ele quem me deu todas estas palavras que disse. 13 Se pararem de pecar e obedecerem ao Senhor, vosso Deus, ele cancelará todos os castigos que anunciou contra vocês. 14 Quanto a mim, não tenho quem me defenda e estou nas vossas mãos; façam de mim o que melhor entenderem! 15 Em todo o caso, uma coisa é certa: se me matarem, matarão um inocente e a responsabilidade desse ato recairá inteiramente sobre os vossos ombros, sobre esta cidade e sobre os seus habitantes; pois é absolutamente verdade que foi o Senhor quem me enviou para vos falar todas as palavras que ouviram de mim.”

16 Então os magistrados e o povo dirigiram-se aos sacerdotes e aos falsos profetas: “Este homem não merece a morte, visto que nos falou em nome do Senhor, nosso Deus.”

17 Alguns dos anciãos e sábios levantaram-se e falaram a todo o povo que ali estava em pé à volta deles:

18 “Esta decisão é correta, porque no passado, Miqueias, o morastita, profetizou nos dias do rei Ezequias de Judá e falou ao povo que o Senhor dos exércitos dissera: ‘Sião será lavrada por completo, como se fosse um campo aberto, e a cidade de Jerusalém será arrasada e feita num monte de entulho. Uma floresta crescerá no mesmo sítio onde agora se levanta o templo.’[a] 19 E porventura o rei Ezequias ou o povo o mataram por ele ter dito isso? Não! Antes arrependeram-se da sua maldade e adoraram o Senhor, pedindo-lhe para ter misericórdia deles, e o Senhor suspendeu o terrível castigo que tinha pronunciado contra eles. Se matarmos Jeremias por nos ter dado uma mensagem de Deus, sabe-se lá o que Deus nos poderá fazer!”

20 Houve um outro homem que profetizava em nome do Senhor, Urias, filho de Semaías, de Quiriate-Jearim, que também denunciou a cidade e a nação na mesma altura em que Jeremias o estava a fazer. 21 Mas quando o rei Joaquim, os oficiais do exército e os altos funcionários da administração ouviram o que ele dizia, o rei mandou prendê-lo para o matar. Urias, ouvindo isso, fugiu para o Egito. 22 O rei Joaquim enviou Elnatã, filho de Acbor, ao Egito, com mais alguns homens, para capturarem Urias. 23 E trouxeram-no prisioneiro ao rei, que o matou à espada e o pôs numa sepultura comum do povo.

24 Mas Aicão, filho de Safã, secretário do reino, protegeu Jeremias e persuadiu o tribunal a não o entregar àquela gente em tumulto, pronta a matá-lo.

Submissão a Nabucodonozor

27 Foi no princípio do reinado de Zedequias, filho de Josias, rei de Judá, que esta mensagem veio a Jeremias da parte do Senhor. “Faz um jugo, ata-o ao pescoço com faixas de couro, tal como se põe num boi que vai lavrar. Depois envia mensagens aos reis de Edom, Moabe, Amon, Tiro e Sídon, através dos seus embaixadores em Jerusalém, dizendo: Transmitam aos chefes das vossas nações que o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel, vos envia esta mensagem: Eu criei a Terra, toda a humanidade e toda a vida animal pelo meu grande poder, e dou essas minhas coisas a quem eu entendo. Por isso, também agora dei todos os vossos países ao rei Nabucodonozor da Babilónia, que é neste caso o meu delegado. Entreguei-lhe todo o vosso gado para seu uso. Todas as nações terão de o servir, a ele, ao seu filho e ao seu neto, até que se cumpra o tempo marcado e seja a vez de outras grandes nações e outros grandes reis conquistarem a Babilónia e a submeteram à escravidão.

Submetam-se e ponham o vosso pescoço sob o jugo da Babilónia! Terei de castigar toda a nação que recusar ser sua escrava; enviarei guerra, fome e pestes sobre esse povo, até que ela o tenha conquistado. Não deem ouvidos aos vossos falsos profetas, aos vossos ledores de sinas e horóscopos, aos vossos videntes, médiuns e bruxos, que vos dizem que o rei da Babilónia não vos escravizará. 10 São todos mentirosos! Se seguirem o que vos dizem, recusando submeterem-se ao rei da Babilónia, expulsar-vos-ei eu próprio da vossa terra e mandar-vos-ei para longe, para lá morrerem. 11 Mas os povos que aceitarem submeter-se ao rei da Babilónia, deixarei que fiquem na sua terra, cultivando os campos como de costume.”

12 Jeremias repetiu estas profecias ao rei Zedequias de Judá. “Se pretendes viver, submete-te ao rei da Babilónia!”, disse-lhe. 13 “Porque insistes em querer morrer, tu e o teu povo? Porque haverias de optar pela guerra, pela fome e pelas pestilências que o Senhor promete a todas as nações que não se submetem ao rei da Babilónia? 14 Não prestes atenção aos falsos profetas que continuam a dizer-te para não te submeteres ao rei da Babilónia, porque são mentirosos! 15 Não fui eu quem os enviou, diz o Senhor; eles estão apenas a dizer mentiras em meu nome. Se insistires em tomá-los em consideração, serei eu a lançar-te fora desta terra, para que morras, tu e igualmente todos esses teus profetas.”

16 Continuei a dirigir-me aos sacerdotes e a todo o povo e disse-lhes: “Esta é a palavra do Senhor: ‘Não ouçam os vossos profetas que vos dizem que em breve os utensílios que foram levados do templo voltarão da Babilónia para o seu lugar original. Isso é uma mentira. 17 Não lhes deem atenção! Submetam-se ao rei da Babilónia para que possam viver, pois doutra forma esta cidade inteira será destruída! 18 Se são realmente profetas de Deus, então que orem ao Senhor dos exércitos, para que os recipientes e utensílios deixados ainda aqui no templo, que não foram levados, assim como os do palácio do rei de Judá e dos outros palácios de Jerusalém, não sejam transportados para a Babilónia!’

19 Porque o Senhor dos exércitos vos diz: ‘Os pilares de bronze que estão em frente do templo e a grande bacia de bronze no pátio do templo, assim como as bases de metal, 20 e os outros objetos de culto deixados aqui por Nabucodonozor, rei da Babilónia, quando fez transportar uma parte importante do povo de Judá e de Jerusalém para a Babilónia, com Jeconias, filho de Joaquim, rei de Judá, 21-22 tudo será levado para a Babilónia e ali ficará, até que eu tome a iniciativa de fazer voltar tudo para cá. Só nessa altura é que trarei essas coisas de novo para Jerusalém.’ ”

O falso profeta Hananias

28 Um dia, no final do verão desse mesmo ano, o quarto do reinado de Zedequias, rei de Judá, Hananias, filho de Azur, um falso profeta de Gibeão, dirigiu-se a mim publicamente, na frente dos sacerdotes e do povo, e disse:

“O Senhor dos exércitos, o Deus de Israel, declara: ‘Já tirei o jugo do rei da Babilónia dos vossos pescoços! Dentro de dois anos trarei de novo para o templo os tesouros que Nabucodonozor transportou para a Babilónia! E farei voltar o rei Jeconias, filho de Joaquim, rei de Judá, assim como todos os outros cativos exilados na Babilónia, diz o Senhor. É com toda a certeza que levantarei esse jugo posto sobre os vossos pescoços pelo rei da Babilónia.’ ”

Então Jeremias disse a Hananias, ali mesmo, diante dos sacerdotes e de todas as pessoas que estavam no templo do Senhor: “Amém! Assim, as tuas profecias possam tornar-se realidade! O meu desejo seria, na verdade, que o Senhor trouxesse da Babilónia os tesouros deste templo, assim como todos os que amamos! Mas agora ouve bem as solenes palavras que tenho a dizer-te também na presença de todas estas pessoas. Os antigos profetas que nos precederam, a ti e a mim, falaram contra muitas nações, avisando sempre que haveria guerra, fome e pestes. Por isso, um profeta que prediz a paz tem a grande responsabilidade sobre si, que é provar que o Senhor realmente o enviou. Só quando essa mensagem acontecer se saberá que realmente ela vem de Deus.”

10 Então Hananias, o falso profeta, pegou no jugo do pescoço de Jeremias e quebrou-o. 11 Ao mesmo tempo que fazia isto, dirigiu-se outra vez à multidão que assistia: “O Senhor prometeu que dentro de dois anos libertará todos os povos agora escravizados por Nabucodonozor, rei da Babilónia!” Jeremias retirou-se.

12 No entanto, pouco tempo depois, o Senhor comunicou a Jeremias esta mensagem: 13 “Vai dizer a Hananias: Assim diz o Senhor, o que tu quebraste no outro dia foi apenas um jugo de madeira, mas em seu lugar esta gente terá sobre si um jugo de ferro! 14 O Senhor dos exércitos, o Deus de Israel, diz: Porei um jugo de ferro sobre o pescoço de todas estas nações, o que as obrigará à escravidão de Nabucodonozor, rei da Babilónia. E nada alterará este decreto, até porque lhe dei igualmente todos os vossos rebanhos e o vosso gado.”

15 Então Jeremias disse a Hananias, o falso profeta: “Ouve, Hananias, tu não foste enviado pelo Senhor e, contudo, o povo está a acreditar nas tuas mentiras. 16 Por isso, o Senhor diz que deves morrer. Ainda neste mesmo ano, a tua vida se apagará, pois te rebelaste contra o Senhor.”

17 Efetivamente, dois meses mais tarde, no sétimo mês do mesmo ano, Hananias morreu.

Uma carta aos exilados

29 1-2 Depois de Jeconias, da rainha-mãe, dos chefes da administração pública, dos anciãos e dos artífices terem sido deportados para a Babilónia por Nabucodonozor, Jeremias escreveu-lhes uma carta de Jerusalém endereçada aos sacerdotes, aos profetas e a todo o povo. Mandou a carta por intermédio de Elasá, filho de Safã, e de Gemarias, filho de Hilquias, quando estes foram à Babilónia como embaixadores do rei Zedequias junto de Nabucodonozor. Era este o conteúdo da carta:

O Senhor dos exércitos, o Deus de Israel, envia esta mensagem a todos os cativos de Jerusalém que foram exilados para a Babilónia. “Construam as vossas casas, não tenham receio de fazer projetos a longo prazo; plantem pomares, pois hão de ficar aí muitos anos. Podem casar e ter filhos; procurem maridos e mulheres para estes últimos e façam-se rodear de netos. Multipliquem-se e não decaiam! Trabalhem para a paz e a prosperidade da Babilónia. Orem por ela, porque se a Babilónia tiver paz, vocês também terão.” Porque o Senhor dos exércitos, o Deus de Israel, diz: “Não deixem os falsos profetas e os bruxos que estão no vosso meio enganar-vos. Não prestem atenção aos sonhos e visões que eles inventam. Pois profetizam mentiras em meu nome. Eu não os enviei, diz o Senhor.”

10 Diz ainda o Senhor: “Quando passarem 70 anos na Babilónia, irei em vossa ajuda, cumprirei a minha promessa e vos trarei para casa. 11 Porque não me esqueci dos planos que fiz a vosso respeito, planos de bem e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança. 12 Nesses dias, quando orarem a mim, eu vos ouvirei. 13 Encontrar-me-ão quando me buscarem de todo o vosso coração, com toda a diligência. 14 Sim, diz o Senhor, serei achado por vocês e porei fim à vossa escravidão; restaurarei a vossa situação; juntar-vos-ei das nações para onde vos enviei e hei de trazer-vos de novo para a vossa terra natal.

15 Mas agora, porque aceitam falsos profetas, no vosso meio, que dizem que o Senhor os enviou? 16 Vou mandar guerra, fome e pestilências sobre o povo que aqui ficou em Jerusalém, sobre os vossos parentes que não foram exilados para a Babilónia e sobre o rei que se senta no trono de David. 17 Farei com eles o que se faz a figos podres que já não se podem comer. 18 Lançá-los-ei pelo mundo fora e em todas as nações onde os colocarei hão de ser amaldiçoados, desprezados e humilhados. 19 Porque se recusaram ouvir-me, ainda que lhes tenha falado múltiplas vezes pela voz dos meus profetas.”

20 Por isso, ouçam a palavra do Senhor, todos os habitantes de Jerusalém exilados na Babilónia! 21 O Senhor dos exércitos, o Deus de Israel, diz isto acerca dos vossos falsos profetas, de Acabe, filho de Colaías, e Zedequias, filho de Maaseias: “Vos declaram mentiras em meu próprio nome. Vejam, entregá-los-ei a Nabucodonozor, rei da Babilónia, e ele os matará à vossa frente. 22 O seu destino tornar-se-á num provérbio, significativo de todo o mal, de tal maneira que quem quiser amaldiçoar outra pessoa dirá: ‘O Senhor te faça como fez a Zedequias e a Acabe, a quem o rei da Babilónia queimou vivos!’ 23 Porque estes homens fizeram uma coisa terrível entre o meu povo. Cometeram adultérios com as mulheres dos seus próximos e mentiram em meu nome. Sei tudo isto, porque vejo tudo o que acontece!, diz o Senhor.”

A mensagem para Semaías

24 E diz isto a Semaías, o neelamita: 25 O Senhor dos exércitos, o Deus de Israel, diz: Sei que escreveste uma carta ao sacerdote Sofonias, filho de Maaseias, e enviaste cópias a todos os outros sacerdotes, assim como a toda a gente em Jerusalém. Nessa carta dizias a Sofonias:

26 O Senhor te designou sacerdote, para substituíres Jeoiada como responsável do templo do Senhor. Será da tua responsabilidade prender todo o louco que se considera profeta, encarcerá-lo e pô-lo incomunicável. 27 Porque é que não fizeste nada com esse pretenso profeta que é Jeremias de Anatote? 28 Porque ele escreveu-nos para aqui, para a Babilónia, dizendo que o nosso cativeiro seria longo e que devíamos construir casas com carácter permanente, e fazer planos a longo prazo para a nossa vida aqui, e que devíamos plantar pomares, porque haveríamos de comer dos seus frutos durante muito tempo.

29 Sofonias levou, entretanto, esta mesma carta a Jeremias e leu-lha. 30 Foi então que o Senhor deu a Jeremias esta mensagem: 31 “Manda uma carta aberta a todos os exilados da Babilónia e diz-lhes: O Senhor diz que, visto que Semaías, o neelamita, profetizou, quando eu não lhe transmiti nada, e vos enganou, levando-vos a acreditar em mentiras, 32 castigá-lo-ei, a ele e à sua família. Nenhum dos seus descendentes verá o bem que espero dar ao meu povo, porque vos ensinou a rebelarem-se contra o Senhor.”

Footnotes:

  1. 26.18 Ver Mq 3.12.
O Livro (OL)

O Livro Copyright © 2000 by Biblica, Inc.® Used by permission. All rights reserved worldwide.

  Back

1 of 1

You'll get this book and many others when you join Bible Gateway Plus. Learn more

Viewing of
Cross references
Footnotes