A A A A A
Bible Book List

Ezequiel 1-4O Livro (OL)

As criaturas estranhas e a glória do Senhor

1/2 Ezequiel (filho de Buzi) era um sacerdote que vivia no meio dos judeus exilados nas proximidades do rio de Quebar em Babilónia. Em 31 de Julho do meu trigésimo ano, abriram-se os céus de repente perante mim, e tive visões de Deus. Era o quinto ano do cativeiro do rei Jeconias; a palavra do Senhor foi-me dirigida pessoalmente e a sua mão esteve sobre mim.

Houve um forte vento tempestuoso vindo do norte, empurrando uma nuvem enorme que ardia em fogo e que espalhava à sua volta uma luminosidade intensa; no meio havia algo que brilhava como cobre polido. 5/6 Então, do centro da nuvem saíram quatro estranhas criaturas que se pareciam com seres humanos, mas que tinham quatro rostos cada um e ainda dois pares de asas! 7/8 Tinham pernas direitas, mas pés com cascos de bezerro e brilhavam como cobre polido. Debaixo das asas pude ver-lhes mãos humanas. Os quatro tinham rostos e asas assim dispostos: 9/12 Estavam juntos, asas com asas, e voavam em frente, em linha recta, sem desvios. Para a frente do corpo tinham um rosto humano, para o lado direito da cabeça, um rosto de leão, para o lado esquerdo, um rosto de boi, e para trás, de águia. Os dois pares de asas saíam-lhes do meio das costas. Um par estendia-se até às asas da criatura que estava a seu lado, e o outro par cobria-lhes o corpo. Iam para onde quer que desejavam ir, sem se virar.

13/14 Entre eles havia outras formas que se deslocavam para cima e para baixo e que pareciam como brasas de carvão, ou como algo que ardesse intensamente. Fogo se movia entre esses seres, e brilhava intensamente, expelindo relâmpagos.

15/18 Enquanto olhava para isto tudo, vi ainda quatro rodas no chão, debaixo das criaturas; uma roda sob cada uma. As rodas tinham a cor de uma pedra preciosa, todas iguais, e cada uma delas tinha outra, na parte interior, atravessada. Podiam assim rodar para a frente e para os lados sem se virarem. As quatro rodas tinham aros e raios; os aros estavam cheios de olhos em toda a volta.

19/21 Quando os quatro seres viventes se deslocavam para a frente, as rodas seguiam-nos; se se elevavam, as rodas também se levantavam; se paravam, também as rodas. Porque o espírito das criaturas estava também nas rodas; por isso, para onde quer que o seu espírito fosse, tanto as rodas como os seres seguiam-no.

22 Os céus em cima pareciam feitos de cristal; eram duma beleza indescritível. 23/25 As asas de cada um dos seres estendiam-se direitas até tocaram nas do outro ao lado; e com o outro par de asas cobriam o corpo. Quando se deslocavam, as asas, ao baterem, faziam um ruído semelhante ao das vagas rebentando na praia, ou semelhante à voz de Deus, ou ainda parecido com o tumulto de um grande exército. Quando paravam, baixavam as asas. E ouvia-se uma voz do firmamento de cristal por cima deles.

26 Por cima desse firmamento estava algo semelhante a um trono, feito de belas pedras de safira azuis, e nele estava sentado alguém que parecia ser um homem. 27/28 Da cintura para cima, parecia ser de bronze brilhante, luzindo como fogo; para baixo, dava a impressão de ser todo ele uma chama; havia um resplendor em volta dele como um arco-íris nas nuvens num dia de aguaceiros. Foi assim que me apareceu a glória do Senhor. Quando vi aquilo, caí com o rosto em terra e ouvi a voz de alguém que me falava:

A chamada de Ezequiel

E disse-me: “Levanta-te, homem mortal, e falarei contigo.” O Espírito entrou em mim enquanto me dirigia a palavra, e pôs-me de pé: 3/5 “Homem mortal, vou enviar-te à nação de Israel, nação rebelde contra mim. Tanto eles como seus pais têm continuado a pecar contra mim até ao momento presente. Têm um coração duro; são de carácter obstinado. Mas eu envio-te junto deles para que lhes transmitas as minhas mensagens — as mensagens do Senhor Deus. Que eles as ouçam ou não — não te esqueças que são gente rebelde — pelo menos hão-de ficar a saber que tiveram um profeta no meio deles.

6/8 E tu, homem mortal, não tenhas medo deles; não receies as suas ameaças ainda que façam doer e magoem como espinhos, como escorpiões. Não te assustes com as suas carrancas sombrias. Lembra-te de que são pessoas insubmissas! Deverás comunicar-lhes as minhas mensagens, quer as ouçam quer não; mas não quererão ouvi-las, porque são extremamente obstinados. Ouve pois, homem mortal, aquilo que te digo. Não sejas tu também contencioso! Abre a tua boca e come o que te dou.”

9/10 Então vi uma mão segurando um rolo de livro, escrito de ambos os lados, na frente e de trás. O livro foi desenrolado e reparei que estava cheio de avisos, de lamentações e de condenações.

“Homem mortal”, continuou a dizer-me, “come o que estou a dar-te; ingere este rolo! Depois vai e comunica a sua mensagem ao povo de Israel.” 2/3 Peguei então no rolo. “Vá, come-o”. E quando o comi, soube-me a mel.

4/7 “Homem mortal, envio-te ao povo de Israel com as minhas palavras. Não é a uma terra estrangeira e distante que te mando, a um povo cuja língua não entendas, não; não vais ter com populações de fala difícil de decifrar — esses certamente escutar-te-iam! É com o povo de Israel que vais ter. E não hão-de querer ouvir-te, tal como também recusaram dar-me ouvidos! Porque são todos um povo endurecido e obstinado. 8/9 Mas repara, a ti dou-te autoridade, e também te faço firme, tão resistente como eles. Fiz a tua fronte tão rija como uma rocha. Por isso não os temas, não tenhas medo dos seus ares soturnos, dos seus olhares sombrios, pois que são pessoas indomáveis.”

10/11 E acrescentou: “Homem mortal, mete todas as minhas palavras no teu coração primeiramente; ouve-as atentamente, tu próprio. E depois vai então ter com o teu povo no exílio; e, quer eles escutem quer não, diz-lhes: É isto que diz o Senhor Deus!”

12 Seguidamente, o Espírito levantou-me e ouvi atrás de mim uma voz muito forte, com um grande eco, que dizia: “Bendita seja a glória do Senhor, lá onde ela permanece!” 13 Ouvi também o barulho das asas das criaturas, que tocavam umas nas outras, e também das rodas que as seguiam.

14/16 O Espírito tomou-me e levou-me a Tel-Avive, outra colónia de exilados judeus, junto do rio Quebar. Eu estava muito triste e o meu espírito ardia; mas a mão do Senhor era forte sobre mim. Sentei-me pois entre eles, sob a forte emoção que me tomara, durante sete dias.

Aviso a Israel

No fim desse tempo o Senhor disse-me: 17 “Homem mortal, designei-te como vigia de Israel; sempre que eu pretenda mandar um aviso ao meu povo, transmite-lho logo. 18 Se recusares avisar o ímpio quando eu pretender que lhe digas assim, ‘Estás condenado a morrer, por isso arrepende-te e salva a tua vida’, ele virá a morrer no seu pecado, mas a ti castigar-te-ei. Ficas responsável pela sua morte. 19 Mas se os avisares e eles continuarem a pecar, recusando arrepender-se, morrerão no seu pecado, mas tu não terás culpa alguma nisso, pois fizeste tudo o que podias. 20 E se uma pessoa que era boa se tornar ímpia, e se tu recusares avisá-la das consequências disso, o Senhor destruirá esse indivíduo, sem que o seu comportamento anterior lhe sirva de alguma coisa; morrerá no seu pecado. Mas tornar-te-ei responsável pela sua morte e castigar-te-ei. 21 No entanto, se o avisares e ele se arrepender, viverá; e quanto a ti, terás também salvo a tua própria vida.”

22/23 A mão de Deus estava sobre mim. E ele me disse: “Vai para o vale e falarei lá contigo”. Logo me levantei, fui e vi ali a glória do Senhor, tal como na minha primeira visão! Inclinei-me até à terra perante ele.

24/27 O Espírito entrou em mim, fez-me pôr de pé e disse-me: “Vai, fechar-te na tua própria casa; serás ligado com cordas de forma que não poderás sair de lá; farei com que a língua se te cole ao céu-da-boca. Durante esse tempo não serás para eles o homem que os repreende, embora sejam uma gente rebelde. Portanto, quando te der uma mensagem, desprender-te-ei a língua e farei com que fales, e dir-lhes-ás: Assim diz o Senhor Deus — quem quiser ouvir, que ouça; quem quiser recusar, que recuse. Porque eles são um povo obstinado.”

Evocação simbólica do cerco de Jerusalém

1/2 “E agora, homem mortal, pega num tijolo; põe-o diante de ti e desenha nele a planta da cidade de Jerusalém. Faz a seguir o desenho de um cerco, de toda uma instalação bélica de ataque à cidade, e acampamentos militares em volta das muralhas. Pega também numa placa de ferro, põe-na entre ti e a cidade, como se fosse uma muralha de ferro. Farás assim uma ilustração de como o exército inimigo tomará Jerusalém! Há um significado especial em cada detalhe daquilo que te disse para fazeres. Pois que se trata de um aviso ao povo de Israel.

4/6 Agora deita-te sobre o teu lado esquerdo. Coloca assim sobre ti a iniquidade de Israel; carregarás com o pecado deles durante trezentos e noventa dias. Cada um desses dias em que estiveres deitado representa um ano de castigo para Israel. Depois vira-te e deixa-te estar deitado para o lado direito, levando assim a iniquidade de Judá por quarenta dias. Um dia representa um ano.

7/8 Entretanto continua a tua ilustração do que será o cerco de Jerusalém; dirige o teu braço, descoberto, contra a cidade. Isto será uma profecia da força com que será condenada. Também te paralisarei os movimentos, de forma a que não possas virar-te nem para um lado nem para o outro, até que se completem todos os dias do cerco.

9/12 Durante os primeiros 390 dias, come pão feito de farinha misturada com trigo, cevada, favas, lentilhas, milho e aveia. Mistura tudo num recipiente. Tomarás diariamente uma ração de 230 gramas, de cada vez, e uma só refeição por dia. Bebe um litro de água por dia; não mais do que isso. Em cada dia pegarás na porção devida da mistura e prepará-la-ás como se fossem bolos de cevada. À vista de todo o povo, coze-a sobre um fogo, empregando esterco humano seco como carburante, e come a tua porção diária. 13 Porque o Senhor declara que Israel comerá pão imundo nas terras bárbaras para onde serão levados cativos!”

14 Então eu disse: “Ó Senhor Deus, então eu tenho de me tornar impuro, empregando assim uma imundície? Pois que nunca antes eu me deixei contaminar dessa forma. Desde criança até agora nunca comi animal morto por doença ou encontrado ferido ou morto; nem sequer ingeri nenhuma espécie de animal proibido pela lei.”

15 O Senhor respondeu-me: “Está bem, podes então usar escremento de vaca, em vez de esterco humano.” 16/17 Depois disse-me: “Homem mortal, o pão será estritamente racionado em Jerusalém. Será cuidadosamente pesado e comido a medo. A água será medida meticulosamente e as pessoas bebê-la-ão com profundo desânimo. Farei com que o povo venha a ter falta tanto de pão como de água, acabando por olharem surpreendidos uns para os outros, definhando sob a punição.”

O Livro (OL)

O Livro Copyright © 2000 by Biblica, Inc.® Used by permission. All rights reserved worldwide.

  Back

1 of 1

You'll get this book and many others when you join Bible Gateway Plus. Learn more

Viewing of
Cross references
Footnotes