A A A A A
Bible Book List

Jeremias 25O Livro (OL)

Setenta anos de exílio

25 Esta mensagem, para o povo de Judá, veio da parte do Senhor a Jeremias, durante o quarto ano do reinado de Joaquim (filho de Josias), rei de Judá. Este foi o ano em que Nabucodonozor, rei da Babilónia, começou a reinar.

2/5 Há vinte e três anos, disse Jeremias, desde o ano treze do reinado de Josias (filho de Amom), rei de Judá, até agora, que Deus me tem mandado as suas mensagens. E sempre vo-las comuniquei fielmente, sem contudo me quererem ouvir. Persistentemente vos tem enviado o Senhor os seus profetas; no entanto, têm recusado dar-lhes ouvidos. De cada vez a sua mensagem era: Deixem esse caminho de maldade por onde vão, e essas acções más que andam a fazer. Porque só assim poderão continuar a viver aqui nesta terra que o Senhor deu a vocês e aos vossos pais para sempre. 6/7 Não me provoquem à ira, adorando ídolos; mas se forem sinceros para comigo, então não vos castigarei. No entanto, recusaram ouvir-me; continuaram no mesmo e levantaram a minha cólera com os vossos ídolos. Foi dessa forma que trouxeram sobre vocês mesmos todo o mal que tem acontecido.

8/11 E agora o Senhor Deus dos exércitos celestiais diz: Porque não quiseram ouvir-me, farei juntarem-se todos os exércitos do norte, sob o comando de Nabucodonozor, rei de Babilónia — do qual fiz meu instrumento — e os trarei todos contra esta terra e este povo, e também contra as nações tuas vizinhas. Destruir-te-ei inteiramente, e farei de ti um espanto, um provérbio de desprezo para sempre. Retirar-te-ei a alegria, os motivos de prazer, as festas, a euforia das bodas; os teus negócios falirão e sobre todas as tuas habitações cairá uma escuridão silenciosa. A terra inteira se tornará numa vastidão desolada e vazia; todo o mundo ficará abismado perante a calamidade que te sobreveio. E assim, Israel e os seus vizinhos, servirão o rei de Babilónia durante setenta anos.

12/14 Depois desse tempo de escravidão terminar, castigarei então o rei da Babilónia e o seu povo por causa dos pecados deles; farei da terra da Caldeia, para sempre, um ermo de ruínas. Trarei sobre eles também todos os terrores que estão prometidos neste livro — todos os castigos anunciados por Jeremias contra as nações. Porque muitas outras nações e grandes reis escravizarão por sua vez os caldeus, tal como fizeram estes ao meu povo; castigá-los-ei na mesma proporção do tratamento que infligiram ao meu povo.

A taça da ira de Deus

15/16 Disse-me o Senhor Deus: “Pega nesta taça que aqui tenho na mão, cheia a transbordar da minha ira, e dá a beber dela a todas as nações que eu te mandar. Beberão dessa taça, cambalearão, e enlouquecerão até morrerem com a violência de guerra que farei cair sobre eles.”

17/18 E tomei a taça da mão do Senhor, dei a beber a todas as nações às quais Deus me tinha mandado; fui a Jerusalém e às cidade de Judá, e os reis e nobres beberam da taça, de tal forma que desde esse dia até agora têm sido assolados, odiados, malditos, tal como se vê. 19/26 Fui ao Egipto, e Faraó, seus servidores, nobres e o povo também beberam dessa taça terrível, ao mesmo tempo que todos os estrangeiros imigrados que ali viviam. O mesmo fizeram todos os reis da terra de Uz e todos os reis dos filisteus (aqueles de Asquelom, de Gaza e de Ecrom, e o povo que ainda ficaram em Asdode). Castiguei da mesma forma as nações de Edom, de Moabe e de Amom, assim como os reis de Tiro e de Sidom, e os das regiões do outro lado do mar; Dedã, Tema, Buz e os povos pagãos que ali vivem; e mais ainda os reis da Arábia, e as tribos nómadas do deserto; e todos os reis de Zimri, de Elam e de Media; tal como os das regiões do norte, de perto e de longe; uns após outros; todos os reis do mundo. E finalmente o rei de Babilónia, ele próprio, bebeu desta taça da ira de Deus.

27/29 Diz-lhes: O Senhor dos exércitos celestiais, o Deus de Israel, diz: Bebam desta taça da minha cólera, até se embebedarem e vomitarem e cairem por terra para não mais se levantarem, porque vou enviar-vos tremendos julgamentos. E se recusarem aceitar a taça e beber, diz-lhes: O Senhor dos exércitos do céu diz que terão de beber, queiram ou não! Não podem escapar a isso! Já comecei a castigar o meu próprio povo, e vocês haviam de escapar? Não, vocês não poderão livrar-se do castigo. Mandarei vir a guerra sobre todos os povos da Terra.

30/33 Por isso profetiza contra eles. Diz-lhes que o Senhor clama contra a sua habitação, desde o seu santo templo nos céus, e contra todos os que vivem na Terra. Fá-lo-á com a exaltação de quem pisa as uvas nolagar. Essa voz de julgamento ecoará por toda a Terra, até aos seus confins, pois que o Senhor tem um contencioso contra todos os povos — contra toda a humanidade. Será a matança de todos os ímpios. Vejam, declara o Senhor dos exércitos celestiais, a punição irá de nação em nação — será como uma colossal tempestade de cólera que se levantará contra os mais longínquos cantos da Terra. Nesse tempo a terra ficará cheia de todos os que foram mortos, dum extremo ao outro. E ninguém chorará por eles, nem juntarão os seus corpos para os enterrar; serão como esterco sobre os campos.

34/35 Chorem e lamentem-se, ó maus pastores; que os chefes do rebanho se revolvam na cinza, porque o seu tempo chegou, a altura de serem mortos e aniquilados; cairão como se fossem frágeis mulheres. Não encontrarão lugar possível para se esconderem, para escaparem.

36/38 Ouçam os gritos frenéticos de desespero dos pastores e dos líderes, porque o Senhor destruiu-lhes as pastagens. Gente que vive neste momento em sossego serão desarraigados pela violência da cólera do Senhor. Deixou desabridamente o lugar em que vive, semelhante a um leão atrás da presa; a terra deles foi devastada por batalhões bem armados e aguerridos — tudo por causa da tremenda cólera do Senhor.

O Livro (OL)

O Livro Copyright © 2000 by Biblica, Inc.® Used by permission. All rights reserved worldwide.

  Back

1 of 1

You'll get this book and many others when you join Bible Gateway Plus. Learn more

Viewing of
Cross references
Footnotes