A A A A A
Bible Book List

2 Reis 18O Livro (OL)

Ezequias é rei de Judá

18 1/2 O novo rei de Judá foi Ezequias. O seu pai era o rei Acaz. O seu reinado durou 29 anos, com capital em Jerusalém. A sua idade, ao iniciar as suas responsabilidades reais: 25 anos. A sua mãe chamava-se Abi; era filha de Zacarias. Em Israel: o rei Oseias, filho de Ela, era rei havia 3 anos.

3/8 Ezequias fez o que era recto aos olhos do Senhor, conforme tudo o que fizera David, seu antepassado. Tirou os nichos das colinas, derrubou os obeliscos, quebrou os vergonhosos ídolos de Asera, destruiu a serpente de bronze que Moisés fizera, pois que o povo até então lhe oferecia incenso queimado, chamando-lhe Neustan; ainda que o rei Ezequias lhes tivesse dito que não passava de uma simples peça de bronze. Confiou fortemente no Senhor Deus de Israel. Com efeito não houve nem antes nem depois dele nenhum rei tão fiel ao Senhor como ele; seguiu os seus caminhos e obedeceu aos mandamentos dados através de Moisés. Por isso o Senhor o ajudou e o fez prosperar em tudo. Rebelou-se contra o rei da Assíria e recusou continuar a pagar-lhe tributos. Conquistou terra aos filisteus até ao limite de Gaza e seus arredores, destruindo povoações, tanto as maiores como as mais pequenas.

9/12 Foi durante o quarto ano do seu reinado, que correspondia ao sétimo do reinado de Oseias de Israel, que o rei Salmaneser da Assíria atacou Israel e pôs cerco à cidade de Samaria. Três anos mais tarde — durante o sexto ano do reinado de Ezequias e o nono do rei Oseias de Israel — Samaria cedeu e foi conquistada. O rei da Assíria transportou israelitas para o seu país, e organizou colónias para a instalação deles na cidade de Halate e ao longo das margens do rio Habor, em Gozã, assim como nas cidades dos medos. Isso aconteceu-lhes porque não quiseram dar ouvidos à palavra do Senhor seu Deus e aceitar tudo o que ele queria que fizessem. Ao contrário, quebraram a aliança estabelecida com Deus, desobedeceram aos mandamentos que Moisés, o servo do Senhor, lhes tinha dado.

13/16 Mais tarde, durante o décimo ano do reinado de Ezequias, Senaqueribe, rei da Assíria, sitiou e capturou todas as cidades fortificadas de Judá. O rei Ezequias pediu a paz e enviou uma mensagem ao rei da Assíria em Laquis: “Errei. Estou pronto a pagar o tributo que exigires, contanto que te retires da terra.” O rei assírio pediu então um pagamento de dez mil quilos de prata e mil de ouro. Para juntar todo esse dinheiro, o rei Ezequias serviu-se de prata armazenada no templo e nos cofres do palácio real. Arrancou ainda o ouro que revestia as portas do templo, e o das ombreiras de outras portas que tinham sido revestidas com esse metal precioso, e deu tudo ao rei assírio.

Senaqueribe ameaça Jerusalém

17/18 Contudo este último mandou o chefe do seu exército, mais o tesoureiro real e o mordomo da corte em Laquis, com um grande exército; acamparam junto à estrada principal, ao lado do campo das lavadeiras, perto do aqueduto do tanque superior. Pediram que o rei Ezequias viesse falar com eles. O soberano contudo mandou uma delegação de paz, com estes homens: Eliaquim (filho de Hilquias), o mordomo-mor; Sebna, secretário real; e Joá (filho de Asafe), cronista da corte.

19/20 Então o general assírio enviou o seguinte recado ao rei Ezequias: “Diz assim o grande rei da Assíria: ‘Ninguém pode escapar ao meu poder! Tu, para te rebelares contra mim, hás-de precisar de mais do que simples promessas por parte dos teus aliados. Mas qual deles está em condições de te poder dar outra coisa para além de palavras?

21/25 O Egipto? Se te apoias no Egipto, vais verificar que essa nação é como um pau que logo se quebra quando nos apoiamos nele, e que acaba por nos perfurar a mão. O Faraó egípcio não inspira confiança alguma!’ Mas se disseres também: ‘Confiamos no Senhor que nos salvará’, lembra-te só de que ele é aquele cujos nichos sobre as colinas destruíste; tendo mandado a toda a gente que fosse adorar perante o altar em Jerusalém! Por isso te digo uma coisa: Aceita a proposta do rei da Assíria, o meu senhor. Se tiveres dois mil cavaleiros para nos entregar, dar-te-emos o número equivalente de cavalos. Com um exército tão pequeno como teu, não representas uma ameaça nem sequer para o menos graduado dos oficiais do exército do meu senhor. Ainda que o Egipto te forneça cavalos e carros de combate, de nada te servirão. Além disso, julgas que viemos aqui de nossa própria iniciativa? Não. Foi o Senhor quem nos mandou e nos disse: ‘Vai destruir essa nação!’”

26 Então Eliaquim, Sebna e Joá responderam-lhes: “Pedimos-te que fales em aramaico, porque compreendemo-lo. Não uses o hebraico, para que o povo que está sobre as muralhas não perceba.”

27 O general assírio retorquiu: “O meu senhor não me mandou apenas para vos falar a vocês, mas também a essa gente que está em cima da muralha. É que eles estão também condenados a ingerirem o seu próprio esterco e a sua urina!”

28 E logo a seguir o embaixador levantou a voz dirigindo-se, em hebraico, ao povo que ali estava: 29 “Ouçam o que vos diz o grande rei da Assíria! ’Não se deixem enganar pelo rei Ezequias. Ele nunca será capaz de vos livrar do meu poder. 30 Não permitam que ele vos engane, levando-vos a confiar no Senhor para vos livrar.

31/32 Não dêem ouvidos ao rei Ezequias. Rendam-se! E poderão viver em paz aqui mesmo, na vossa própria terra, até que vos leve para outra semelhante a esta, cheia de belas searas, fértil, com muitas vinhas, olivais e mel. Tudo isto em troca da morte! Não escutem Ezequias quando ele tentar persuadir-vos em como o Senhor vos salvará. 33/34 Algum dos deuses das outras nações conseguiu livrar o seu povo do rei da Assíria? Que foi que aconteceu com os deuses de Hamate, Arpade, Sefarvaim, Hena e Iva? Foram eles capazes de proteger Samaria? 35 Qual foi o deus que, em alguma ocasião, teve poder para preservar uma nação da minha força? Então, o que é que vos leva a pensar que o Senhor pode salvar Jerusalém?’”

36/37 No entanto a gente que estava sobre as muralhas manteve-se em silêncio, porque o rei tinha-lhes dado instruções para que nada respondessem. Eliaquim (filho de Hilquias), mordomo-mor, Sebna, secretário real e Joá (filho de Asafe), o cronista da corte, regressaram junto do rei Ezequias, com as suas vestimentas rasgadas, e transmitiram-lhe o que o general assírio lhes dissera.

O Livro (OL)

O Livro Copyright © 2000 by Biblica, Inc.® Used by permission. All rights reserved worldwide.

  Back

1 of 1

You'll get this book and many others when you join Bible Gateway Plus. Learn more

Viewing of
Cross references
Footnotes