A A A A A
Bible Book List

Salmos 133-139 O Livro (OL)

Cântico de peregrinação. Salmo de David.

133 Como é bom e agradável que os irmãos vivam em união!

Dá satisfação como quando vemos o óleo perfumado
descer sobre a cabeça do sacerdote, descendente de Aarão,
perfumando-lhe o rosto, a barba e as roupagens.
É como quando o orvalho cai sobre o monte Hermon,
e sobre os montes de Sião.
Porque é assim que o Senhor nos pode dar a sua bênção,
o seu mandamento é vida eterna!

Cântico de peregrinação.

134 Louvem o Senhor todos os que o servem,
os que todas as noites se mantêm diante dele!
Ergam-lhe as vossas mãos
e louvem-no na sua santa habitação!

Que o Senhor te abençoe desde Sião,
ele que fez o céu e a Terra!
135 Louvem o Senhor!

Que o seu nome seja honrado!
Louvem-no todos os que o servem.
Louvem-no, vocês que estão presentes no templo do Senhor,
nos átrios do templo do nosso Deus.

Louvem o Senhor, porque é infinitamente bom.
Cantem louvores ao poder do seu nome maravilhoso.
Porque o Senhor escolheu o povo de Jacob e Israel
para serem a sua propriedade preciosa.

Eu sei que o Senhor é grande,
muito superior ao que os homens consideram deuses.
Tudo o que quis, o Senhor fez,
tanto nos céus como na Terra,
como nos mares e até nas maiores profundidades.
É ele quem faz as águas condensarem em nevoeiros,
das partes mais diversas da Terra;
faz os relâmpagos que trazem a chuva;
faz surgir os ventos dos seus reservatórios.

Foi também ele quem tirou a vida
ao filho mais velho das famílias do Egito,
e até aos próprios animais;
quem realizou grandes milagres e maravilhas,
contra Faraó e os seus súbditos, nessa terra.
10 Abateu muitas nações
e aniquilou poderosos reis;
11 Siom, rei dos amorreus, e Ogue, rei de Basã,
e todos os reis de Canaã.
12 E deu a terra deles a Israel, seu povo,
para que a possuísse.

13 A força do teu nome permanecerá para sempre, Senhor;
a tua fama será conhecida por todas as gerações.
14 O Senhor defenderá o seu povo
e terá compaixão dos que o servem.

15 Os ídolos que os povos pagãos adoram
não são mais do que meros objetos de prata e de ouro,
mandados fazer por seres humanos.
16 Têm boca, mas não falam;
têm olhos, mas não são capazes de ver.
17 Têm ouvidos, mas não ouvem;
têm boca e nem sequer respiram.
18 Tornar-se-ão iguais a eles aqueles que os mandam fazer,
aqueles que neles confiam!

19 Ó povo de Israel,
louva a grandeza do teu Senhor!
E vocês, os sacerdotes da descendência de Aarão,
deem glória ao Senhor!
20 Também os sacerdotes levitas
louvem o Senhor!
Todos aqueles que o temem e confiam nele,
louvem-no!
21 Bendito seja o Senhor, Deus de Sião,
que está em Jerusalém!

Louvem o Senhor!
136 Deem graças ao Senhor porque ele é bom,
porque o seu amor é eterno.
Deem graças a Deus que está acima de todos os deuses;
porque o seu amor é eterno.
Louvem aquele que é o Senhor dos senhores;
porque o seu amor é eterno.

O único que faz milagres poderosos;
porque o seu amor é eterno.
Fez o universo pela sua sabedoria;
porque o seu amor é eterno.
Foi ele quem distribuiu os mares sobre a superfície da Terra;
porque o seu amor é eterno.
Criou os grandes astros;
porque o seu amor é eterno.
Fez o Sol para dar luz e marcar o tempo durante o dia;
porque o seu amor é eterno.
Fez a Lua e as estrelas para governarem a noite;
porque o seu amor é eterno.

10 Ele tirou a vida aos filhos mais velhos das famílias do Egito;
porque o seu amor é eterno.
11 Retirou o seu povo Israel do meio daqueles que os escravizavam;
porque o seu amor é eterno.
12 Fê-lo com todo o seu poder e autoridade;
porque o seu amor é eterno.

13 Fez com que o mar Vermelho se abrisse em dois;
porque o seu amor é eterno.
14 Levou Israel a atravessá-lo em seco;
porque o seu amor é eterno.
15 Deixou que o exército do Faraó se afogasse nesse mesmo mar;
porque o seu amor é eterno.

16 Depois guiou o seu povo através do deserto;
porque o seu amor é eterno.

17 Derrotou grandes e poderosos reis;
porque o seu amor é eterno.
18 Tirou a vida a reis famosos;
porque o seu amor é eterno.
19 A Siom, rei dos amorreus;
porque o seu amor é eterno.
20 E a Ogue, rei da Basã;
porque o seu amor é eterno.
21 A sua terra foi dada como propriedade aos israelitas;
porque o seu amor é eterno.
22 Foi-lhes dada como herança, pois é um povo que serve o Senhor;
porque o seu amor é eterno.

23 Deus lembrou-se da nossa grande fraqueza;
porque o seu amor é eterno.
24 Salvou-nos dos nossos inimigos;
porque o seu amor é eterno.
25 Ele sustenta todos os seres vivos;
porque o seu amor é eterno.

26 Louvem o Deus dos céus;
porque o seu amor é eterno.
137 Junto aos rios da Babilónia
sentámos-nos a chorar, pensando em Sião.
Nos salgueiros, que por ali havia,
pendurámos as nossas harpas.
Os que nos tinham feito prisioneiros
pediam-nos que cantássemos;
tinham-nos destruído e queriam que estivéssemos alegres.
Exigiam-nos: “Vamos, cantem-nos um cântico de Sião!”

Mas como era possível que cantássemos
se vivíamos exilados?
Se eu me esquecer de ti, Jerusalém,
então será melhor que a minha mão direita
deixe de tocar os instrumentos!
Que a língua se me pegue ao paladar,
se eu for capaz de me esquecer de ti, Jerusalém,
e se tu não fores toda a minha alegria!

Lembra-te, Senhor, do que esses edomitas fizeram,
no dia em que Jerusalém foi capturada.
“Arrasem-na! Arrasem-na inteiramente!”, gritavam.
Ah! Babilónia, como hás de ser destruída!
Felizes os que te fizerem o mesmo que nos fizeste a nós!
Felizes aqueles que pegarem nos teus filhos
e os esmagarem nas pedras!

Salmo de David.

138 Senhor, quero louvar-te de todo o meu coração.
Mesmo na presença dos falsos deuses,
te cantarei louvores!
Em direção ao teu santo templo,
darei honra ao teu nome,
por causa da tua bondade e da tua fidelidade,
pois as tuas promessas se sustentam em toda a honra do teu nome.
Quando clamei a ti, respondeste-me;
encorajaste-me, dando força à minha alma.

Todos os chefes das nações da Terra te louvarão, Senhor,
quando prestarem atenção à tua palavra.
Cantarão hinos descrevendo o bem do teu caminho, Senhor,
pois grande é a glória do Senhor!

Apesar do Senhor ser tão sublime,
dá atenção às pessoas mais simples;
mas o orgulhoso, a esse mantém-no à distância!
Ainda que me encontre rodeado de angústias,
hás de dar-me uma vida nova.
A tua mão susterá o ímpeto dos meus inimigos
e com a tua mão direita me salvarás.
O Senhor saberá aperfeiçoar a minha vida.
O teu amor, Senhor, é eterno.
Não desampares pois a obra das tuas mãos!

Salmo de David. Para o diretor do coro.

139 Senhor, tu tens-me examinado;
tu conheces-me!
Sabes tudo o que eu faço,
mesmo as coisas mais simples
como o sentar-me e o levantar-me;
nenhum dos meus pensamentos te escapa.
Toda a minha conduta é registada por ti;
esteja acordado ou a descansar,
tudo sabes a meu respeito.
Sem que seja preciso dizer alguma coisa,
tudo sabes sobre mim.
Envolves-me e proteges-me;
a tua mão está sobre mim.
E tudo isso é para mim maravilhoso;
representa uma sabedoria que me ultrapassa.

Aliás, para onde poderia eu ir,
fora do alcance do teu Espírito?
Onde poderia estar que tu não me visses?
Se subir até aos céus, tu aí estás;
se descer ao profundo mundo dos mortos, também aí estás.
E se voar na brisa matinal,
fugindo para além do mar?
10 Sempre a tua mão continuará a guiar-me
e a tua mão direita me susterá.
11 Se eu disser:
“Nas trevas estarei perfeitamente escondido
e a luz à minha volta se tornar noite”,
12 ainda assim as trevas não serão para ti escuridão;
para ti a noite brilha como o dia
e as trevas são como a luz.

13 Tu criaste-me, Senhor;
toda a estrutura do meu ser foi formada por ti,
mesmo no seio de minha mãe!
14 Por isso, louvo-te pela forma maravilhosa
e admirável como sou formado.
Quando penso nisso não posso deixar de afirmar:
“De uma forma maravilhosa me criaste!”
15 Logo nos primeiros momentos do meu ser,
quando só tu sabias que me estavas a formar,
já aí o teu poder criador intervinha.
16 Os teus olhos viam o meu corpo em formação,
e no teu livro tudo ia sendo registado;
tudo se ia realizando, segundo estava programado,
mesmo antes de eu começar a existir!
17 Quão precioso é, Deus, reconhecer
que estás a pensar constantemente em mim!
18 Não posso contar os teus pensamentos,
pois seriam mais do que a areia;
e quando eu acordar, ainda estás contigo!

19 Ó Deus, destrói o perverso.
Afastem-se de mim, ó gente sedenta de sangue!
20 Só sabem rebelar-se contra ti
e falam com malícia do teu nome!
21 Senhor, como aborreço esses que te odeiam
e como sofro por causa dessa gente que se levanta contra ti!
22 Tenho por eles o maior repúdio!
Para mim são como inimigos!

23 Examina-me, ó Deus, observa o meu íntimo;
prova-me e analisa os meus pensamentos!
24 Vê se há em mim algum caminho mau
e conduz-me pelo caminho eterno!

O Livro (OL)

O Livro Copyright © 2000 by Biblica, Inc.® Used by permission. All rights reserved worldwide.

Salmos 133-139 Almeida Revista e Corrigida 2009 (ARC)

A excelência do amor fraternal

Cântico dos degraus, de Davi

133 Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união! É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, e que desce à orla das suas vestes. Como o orvalho do Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o Senhor ordena a bênção e a vida para sempre.

Exortação a bendizer o Senhor

Cântico dos degraus

134 Eis aqui, bendizei ao Senhor todos vós, servos do Senhor, que assistis na Casa do Senhor todas as noites. Levantai as mãos no santuário e bendizei ao Senhor. O Senhor, que fez o céu e a terra, te abençoe desde Sião!

Deus é louvado pela sua bondade, poder e justiça. A vaidade dos ídolos

135 Louvai ao Senhor! Louvai o nome do Senhor; louvai-o, servos do Senhor. Vós que assistis na Casa do Senhor, nos átrios da Casa do nosso Deus. Louvai ao Senhor, porque o Senhor é bom; cantai louvores ao seu nome, porque é agradável. Porque o Senhor escolheu para si a Jacó e a Israel, para seu tesouro peculiar.

Porque eu conheço que o Senhor é grande e que o nosso Deus está acima de todos os deuses. Tudo o que o Senhor quis, ele o fez, nos céus e na terra, nos mares e em todos os abismos. Faz subir os vapores das extremidades da terra; faz os relâmpagos para a chuva; tira os ventos dos seus tesouros.

Foi ele que feriu os primogênitos do Egito, desde os homens até aos animais; que operou sinais e prodígios no meio de ti, ó Egito, contra Faraó e contra os seus servos; 10 que feriu muitas nações e deu morte a poderosos reis: 11 a Seom, rei dos amorreus, e a Ogue, rei de Basã, e a todos os reinos de Canaã, 12 e deu a sua terra em herança, em herança a Israel, seu povo.

13 O teu nome, ó Senhor, permanece perpetuamente; e a tua memória, ó Senhor, de geração em geração. 14 Pois o Senhor julgará o seu povo e se arrependerá em atenção aos seus servos.

15 Os ídolos das nações são prata e ouro, obra das mãos dos homens. 16 Têm boca, mas não falam; têm olhos, e não veem; 17 têm ouvidos, mas não ouvem, nem há respiro algum na sua boca. 18 Semelhantes a eles se tornem os que os fazem, e todos os que confiam neles.

19 Casa de Israel, bendizei ao Senhor! Casa de Arão, bendizei ao Senhor! 20 Casa de Levi, bendizei ao Senhor! Vós, os que temeis ao Senhor, louvai ao Senhor! 21 Bendito seja, desde Sião, o Senhor, que habita em Jerusalém. Louvai ao Senhor!

Deus é louvado por suas obras e por sua permanente benignidade

136 Louvai ao Senhor, porque ele é bom; porque a sua benignidade é para sempre. Louvai ao Deus dos deuses; porque a sua benignidade é para sempre. Louvai ao Senhor dos senhores; porque a sua benignidade é para sempre. Àquele que só faz maravilhas; porque a sua benignidade é para sempre. Àquele que com entendimento fez os céus; porque a sua benignidade é para sempre. Àquele que estendeu a terra sobre as águas; porque a sua benignidade é para sempre. Àquele que fez os grandes luminares; porque a sua benignidade é para sempre. O sol para governar de dia; porque a sua benignidade é para sempre. A lua e as estrelas para presidirem a noite; porque a sua benignidade é para sempre. 10 Que feriu o Egito nos seus primogênitos; porque a sua benignidade é para sempre. 11 E tirou a Israel do meio deles; porque a sua benignidade é para sempre. 12 Com mão forte, e com braço estendido; porque a sua benignidade é para sempre. 13 Àquele que dividiu o mar Vermelho em duas partes; porque a sua benignidade é para sempre. 14 E fez passar Israel pelo meio dele; porque a sua benignidade é para sempre. 15 Mas derribou a Faraó com o seu exército no mar Vermelho; porque a sua benignidade é para sempre. 16 Àquele que guiou o seu povo pelo deserto; porque a sua benignidade é para sempre. 17 Àquele que feriu os grandes reis; porque a sua benignidade é para sempre. 18 E deu morte a reis famosos; porque a sua benignidade é para sempre. 19 Seom, rei dos amorreus; porque a sua benignidade é para sempre. 20 E Ogue, rei de Basã; porque a sua benignidade é para sempre. 21 E deu a terra deles em herança; porque a sua benignidade é para sempre. 22 Sim, em herança a Israel, seu servo; porque a sua benignidade é para sempre. 23 Que se lembrou da nossa humilhação; porque a sua benignidade é para sempre. 24 E nos remiu dos nossos inimigos; porque a sua benignidade é para sempre. 25 Que dá mantimento a toda a carne; porque a sua benignidade é para sempre.

26 Louvai ao Deus dos céus; porque a sua benignidade é para sempre.

Saudades da pátria

137 Junto aos rios da Babilônia nos assentamos e choramos, lembrando-nos de Sião. Nos salgueiros, que há no meio dela, penduramos as nossas harpas. Porquanto aqueles que nos levaram cativos nos pediam uma canção; e os que nos destruíram, que os alegrássemos, dizendo: Cantai-nos um dos cânticos de Sião.

Mas como entoaremos o cântico do Senhor em terra estranha? Se eu me esquecer de ti, ó Jerusalém, esqueça-se a minha destra da sua destreza. Apegue-se-me a língua ao paladar se me não lembrar de ti, se não preferir Jerusalém à minha maior alegria.

Lembra-te, Senhor, dos filhos de Edom no dia de Jerusalém, porque diziam: Arrasai-a, arrasai-a, até aos seus alicerces. Ah! Filha da Babilônia, que vais ser assolada! Feliz aquele que te retribuir consoante nos fizeste a nós! Feliz aquele que pegar em teus filhos e der com eles nas pedras!

Ação de graças a Deus pela sua fidelidade. Todos os reis o louvarão

Salmo de Davi

138 Eu te louvarei, Senhor, de todo o meu coração; na presença dos deuses a ti cantarei louvores. Inclinar-me-ei para o teu santo templo e louvarei o teu nome, pela tua benignidade e pela sua verdade; pois engrandeceste a tua palavra acima de todo o teu nome. No dia em que eu clamei, me escutaste; alentaste-me, fortalecendo a minha alma.

Todos os reis da terra te louvarão, ó Senhor, quando ouvirem as palavras da tua boca; e cantarão os caminhos do Senhor, pois grande é a glória do Senhor. Ainda que o Senhor é excelso, atenta para o humilde; mas ao soberbo, conhece-o de longe.

Andando eu no meio da angústia, tu me revivificarás; estenderás a mão contra a ira dos meus inimigos, e a tua destra me salvará.

O Senhor aperfeiçoará o que me concerne; a tua benignidade, ó Senhor, é para sempre; não desampares as obras das tuas mãos.

A onipresença e a onipotência de Deus

Salmo de Davi para o cantor-mor

139 Senhor, tu me sondaste e me conheces. Tu conheces o meu assentar e o meu levantar; de longe entendes o meu pensamento. Cercas o meu andar e o meu deitar; e conheces todos os meus caminhos. Sem que haja uma palavra na minha língua, eis que, ó Senhor, tudo conheces. Tu me cercaste em volta e puseste sobre mim a tua mão. Tal ciência é para mim maravilhosíssima; tão alta, que não a posso atingir.

Para onde me irei do teu Espírito ou para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, tu aí estás; se fizer no Seol a minha cama, eis que tu ali estás também; se tomar as asas da alva, se habitar nas extremidades do mar, 10 até ali a tua mão me guiará e a tua destra me susterá. 11 Se disser: decerto que as trevas me encobrirão; então, a noite será luz à roda de mim. 12 Nem ainda as trevas me escondem de ti; mas a noite resplandece como o dia; as trevas e a luz são para ti a mesma coisa.

13 Pois possuíste o meu interior; entreteceste-me no ventre de minha mãe. 14 Eu te louvarei, porque de um modo terrível e tão maravilhoso fui formado; maravilhosas são as tuas obras, e a minha alma o sabe muito bem. 15 Os meus ossos não te foram encobertos, quando no oculto fui formado e entretecido como nas profundezas da terra. 16 Os teus olhos viram o meu corpo ainda informe, e no teu livro todas estas coisas foram escritas, as quais iam sendo dia a dia formadas, quando nem ainda uma delas havia. 17 E quão preciosos são para mim, ó Deus, os teus pensamentos! Quão grande é a soma deles! 18 Se os contasse, seriam em maior número do que a areia; quando acordo, ainda estou contigo.

19 Ó Deus! Tu matarás, decerto, o ímpio! Apartai-vos, portanto, de mim, homens de sangue. 20 Pois falam malvadamente contra ti; e os teus inimigos tomam o teu nome em vão. 21 Não aborreço eu, ó Senhor, aqueles que te aborrecem, e não me aflijo por causa dos que se levantam contra ti? 22 Aborreço-os com ódio completo; tenho-os por inimigos. 23 Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me e conhece os meus pensamentos. 24 E vê se em mim algum caminho mau e guia-me pelo caminho eterno.

Almeida Revista e Corrigida 2009 (ARC)

Copyright 2009 Sociedade Bíblica do Brasil. Todos os direitos reservados / All rights reserved.

Viewing of
Cross references
Footnotes