A A A A A
Bible Book List

2 Crônicas 35O Livro (OL)

A celebração da Páscoa

35 Josias anunciou que a Páscoa seria celebrada no primeiro dia de Abril, em Jerusalém. O cordeiro pascal seria morto no fim desse dia. 2/6 Restabeleceu as funções dos sacerdotes, instigando-os a que retomassem o serviço no templo. Emitiu também a seguinte ordem aos levitas que se tinham consagrado, e que se dedicavam ao ensino em Israel: “Visto que a arca está definitivamente depositada no templo que Salomão mandou construiur, e sendo que não precisam mais de a carregar aos ombros de um lugar para outro, apliquem o vosso tempo ao serviço do Senhor junto do seu povo. Distribuam-se conforme os turnos de actividade em que estavam organizados os vossos antecessores, tal como foram agrupados pelo rei David e pelo seu filho Salomão, monarcas de Israel. Cada turno dará assistência a um particular clã do povo que venha trazer as suas oferendas ao templo. Matem o cordeiro pascal e santifiquem-se; preparem-se para dar assistência ao povo que se apresentar. Sigam todas as instruções do Senhor, dadas através de Moisés.”

7/9 O rei contribuiu com trinta mil cordeiros e novilhos para as ofertas populares da Páscoa, e ainda com mais três mil bois. Os governantes fizeram também contribuições voluntárias aos sacerdotes e aos levitas. Hilquias, Zacarias e Jeiel, os supervisores do templo, deram aos sacerdotes duas mil e seiscentas ovelhas e cabritos e trezentos bois, como ofertas de Páscoa. Os líderes levitas —Conanias, Semaías e Netanel, com os seus irmãos Hasabias, Jeiel, e Jozabade— deram cinco mil ovelhas e cabritos mais quinhentos bois aos levitas.

10/14 Quando tudo estava organizado e os sacerdotes se encontravam nos seus lugares, com os levitas formados em turnos de serviço, conforme as instruções reais, então os levitas começaram a matança dos cordeiros pascais, apresentando o sangue aos sacerdotes, que o aspergiam sobre o altar enquanto outros levitas arrancaram a pele dos animais. Amontoavam seguidamente os corpos dos animais mortos para que cada tribo apresentasse o seu holocausto ao Senhor, tal como está escrito na lei de Moisés. Fizeram o mesmo com os bois. Então, de acordo com as instruções da lei, assaram os cordeiros e cozeram as ofertas sagradas em caldeiras, panelas e sertãs, apressando-se em reparti-las entre o povo, para que comesse. A seguir os levitas prepararam a sua própria refeição, para si e para os sacerdotes, pois tinham estado ocupados desde a manhã até à noite oferecendo a gordura das ofertas queimadas.

15/16 Os cantores (os filhos de Asafe) estavam nos seus lugares, segundo as directrizes dadas séculos antes pelo rei David, por Asafe, por Hemã e por Jedutum, o profeta do rei. Os porteiros encontravam-se às entradas do templo, e não tiveram necessidade de abandonar os seus lugares, porque as refeições foram-lhe trazidas pelos outros levitas seus irmãos. Assim se completou toda a cerimónia da Páscoa num só dia. Todos os holocaustos foram queimados sobre o altar do Senhor, conforme as ordens de Josias. 17/18 Toda a gente presente em Jerusalém participou nesta celebração da Páscoa, que foi seguida pela festa dos pães asmos, durante os sete dias posteriores. Nunca tinha havido, desde o tempo do profeta Samuel, uma tal celebração de Páscoa — nem um só dos reis de Israel fez uma tal festividade, envolvendo tantos sacerdotes, levitas, e povo de Jerusalém e de toda a parte de Judá, além de outros sítios de Israel. 19 Tudo isto aconteceu no décimo oitavo ano do reinado de Josias.

A morte de Josias

20 Algum tempo depois, o rei Neco do Egipto levou o seu exército a combater contra os assírios em Carquemis, na margem do rio Eufrates; e Josias declarou-lhe guerra. 21 O rei Neco do Egipto mandou-lhe embaixadores com a seguinte mensagem: “Não estou interessado em lutar contigo, ó rei de Judá! O meu intuito é unicamente fazer guerra ao rei da Assíria! Não te metas comigo! Deus disse-me que não me detesse. Não interfiras com as ordens de Deus, se não serás destruído, pois Deus está do meu lado.”

22/23 Mas Josias recusou alterar a sua posição e conduziu o exército à batalha, no vale de Megido. (Tirou de si as roupas reais, para que o inimigo não o reconhecesse.) Josias não quis pois acreditar que a mensagem de Neco era de Deus. Os archeiros inimigos atingiram gravemente o rei Josias. “Tirem-me daqui, do meio da batalha”, clamou ele aos seus ajudantes.

24/25 Tiraram-no então do carro de combate, levaram-no para outro carro e conduziram-no para Jerusalém, onde acabou por morrer. Foi enterrado no cemitério real. Todo o reino de Judá e a população de Jerusalém, entre a qual vivia o profeta Jeremias, chorou a sua morte. Nas exéquias fúnebres, cantou o coro do templo. E ainda hoje se cantam os coros fúnebres da cerimónia do seu enterro, pois foram incorporados na colectânea de elegias. 26/27 Outras actividades de Josias, as suas louváveis acções, a forma como seguiu a palavra do Senhor, tudo está escrito nos Anais dos Reis de Israel e de Judá.

O Livro (OL)

O Livro Copyright © 2000 by Biblica, Inc.® Used by permission. All rights reserved worldwide.

  Back

1 of 1

You'll get this book and many others when you join Bible Gateway Plus. Learn more

Viewing of
Cross references
Footnotes